fbpx

Como montar uma oficina de bicicletas (SEBRAE)




Apresentação

Um empreendimento de Oficina de Bicicletas tem como principal função consertar, reparar e conservar bicicletas. Para agregar valor e criar mecanismos alternativos de renda o proprietário ainda pode oferecer venda bicicletas novas, peças, acessórios e material para a prática do ciclismo (roupas, garrafas, capacetes, etc.).

É impossível ignorar o impacto causado pela bicicleta no mundo contemporâneo. Em algumas cidades europeias, como Amsterdã e Barcelona por exemplo, a bicicleta representa o principal meio de transporte da população. Na China, na Índia e em outros países asiáticos, o seu uso supera o de veículos automotores.

O Brasil está começando a perceber o potencial da bicicleta como alternativa de transporte. Algumas metrópoles já investem pesado em ciclovias para reduzir os engarrafamentos de trânsito. Em cidades pequenas, a bicicleta já é realidade, tornando-se o principal meio de locomoção dos habitantes. Os programas de combate à poluição de algumas prefeituras também contribuem para o crescimento do hábito de andar de bicicleta.

Mercado

Tendência de mercado

A bicicleta cada vez mais ganha espaço no cotidiano do brasileiro não só como mais uma opção de lazer, mas como um importante meio de transporte diário.

No Brasil já circulam mais bicicletas do que carros. São 70 milhões delas contra 50 milhões de veículos, segundo a Abraciclo e o IBGE, e, metade são usadas pela população para ir ao trabalho.

O incentivo ao uso da bicicleta é uma tendência mundial, pois além de manter a população mais saudável e diminuir a poluição e os congestionamentos das grandes metrópoles, outros dados chamam a atenção para os diferentes benefícios do uso da bicicleta como transporte diário. Segundo um estudo realizado em Nova Iorque, as vendas das lojas de rua aumentaram em até 49% após a construção de ciclovias. O estudo argumenta que um ciclista tem menos barreiras para entrar numa loja local que, ao contrário do carro, é mais fácil encontrar um ponto para prender a bicicleta.

A cada dia a bicicleta vem se tornando uma importante alternativa onde a sociedade ganha como um todo por ter uma cidade mais humana e saudável, e menos congestionada e poluída.

Devido ao risco intrínseco ao negócio, recomenda-se a realização de ações de pesquisa de mercado para avaliar a demanda, a concorrência e os fornecedores.

Mercado consumidor

No intuito de estudar melhor esse mercado, o empreendedor deverá pesquisar os indicadores econômicos e sociais da região em que pretende abrir a empresa. É essencial que se analisem alguns índices como: tamanho da população, população economicamente ativa, índice de potencial do consumo, índice de desenvolvimento humano, etc.

Sugere-se que essas informações sejam pesquisadas periodicamente nos sites doSebrae, do IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada -; do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística -; do PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – e da Fundação Getúlio Vargas.

O estudo dos clientes é uma das etapas mais importantes na estruturação do empreendimento. O empreendedor deverá identificar e conhecer melhor seu cliente. Por isso, de uma maneira simples, o empreendedor necessita saber:

– As características gerais dos clientes: idade, sexo, profissão, salário, endereço;

– Quais são os interesses e o comportamento da clientela: a quantidade de produtos e serviços que compram e com que frequência o fazem, que preço pagam ou estão dispostos a pagar pelos produtos e serviços de conserto;

– O que motiva as pessoas a procurar pelo serviço da empresa: o preço, a qualidade, as formas de pagamento, o atendimento;

– Onde estão os clientes: o tamanho do mercado em que irá atuar – será apenas no bairro, na cidade? Os clientes encontrarão a oficina com facilidade?

Tradicionalmente o mercado de bicicletas é bastante diversificado tendo como clientes potenciais trabalhadores urbanos, trabalhadores rurais, grupos de ciclistas, pessoas que possuem bicicletas somente para laser, crianças. Os grupos de ciclismo são um ótimo nicho de mercado, já que esse serviço é bastante solicitado por eles. Portanto, estude o mercado e encontre onde pretende focar seu empreendimento.

Mercado concorrente

Para conhecer o concorrente, é necessário identificar as empresas que trabalham com serviços semelhantes no raio de atuação onde será aberta a nova empresa. A partir daí, realizam-se visitas e examinam-se os pontos fortes e fracos dessas empresas em relação a:

– Qualidade dos produtos utilizados;

– Qualidade e tipo dos serviços prestados;

– Preço praticado para cada serviço;

– Localização da empresa;

– Condições de pagamento: prazos, descontos, etc.;

– Serviços adicionais: garantias oferecidas, entrega em domicílio, horários de funcionamento, etc.

Após essa análise, devem-se realizar comparações e visualizar se a nova empresa poderá competir com as analisadas, se há espaço para mais um empreendimento do mesmo ramo, e o que a nova empresa terá de diferencial para que os clientes deixem de ir comprar no concorrente.

Mercado fornecedor

Identificar e selecionar os fornecedores de peças, equipamentos e matérias-primas para o empreendimento não é tarefa das mais simples, tendo em vista a variedade deles disponíveis no mercado. O empreendedor deverá avaliar, em pelo menos três empresas, alguns aspectos do mercado fornecedor:

– Qualidade dos produtos;

– Preço;

– Condições de pagamento;

– Prazos para entrega.

Se escolher apenas um fornecedor, é importante manter contato com os principais, pois nunca se sabe quando um fornecedor pode ter dificuldades de atendimento.

Localização

A localização do ponto comercial é uma das decisões mais relevantes para uma Oficina de Bicicletas. Para garantir visibilidade ao negócio, deve-se escolher um local com grande fluxo de pedestres e ciclistas, ou ruas e avenidas movimentadas. Além desse aspecto, o empreendedor precisa considerar também a densidade populacional, o perfil dos consumidores locais, a concorrência, os fatores de acesso e locomoção, a visibilidade, a proximidade com fornecedores, a segurança e a limpeza do local.

Alguns detalhes devem ser observados na escolha do imóvel:

– O imóvel atende às necessidades operacionais referentes à localização, capacidade de instalação do negócio, possibilidade de expansão, características da vizinhança e disponibilidade dos serviços de água, luz, esgoto, telefone e internet?

– O ponto é de fácil acesso, possui estacionamento para veículos, local para carga e descarga de mercadorias e conta com serviços de transporte coletivo nas redondezas?

– O local está sujeito a inundações ou próximo a zonas de risco?

– O imóvel está legalizado e regularizado junto aos órgãos públicos municipais?

– A planta do imóvel está aprovada pela Prefeitura? Houve alguma obra posterior, aumentando, modificando ou diminuindo a área primitiva?

– As atividades a serem desenvolvidas no local respeitam a Lei de Zoneamento ou o Plano Diretor do Município?

– Os pagamentos do IPTU referente ao imóvel encontram-se em dia?

– O que a legislação local determina sobre o licenciamento das placas de sinalização?

Exigências Legais e Específicas

Para abrir uma empresa, o empreendedor poderá ter seu registro de forma individual ou em um dos enquadramentos jurídicos de sociedade. Ele deverá avaliar as opções que melhor atendem suas expectativas e o perfil do negócio pretendido. Leia mais sobre este assunto no capítulo ‘Informações Fiscais e Tributárias’.

O contador, profissional legalmente habilitado para elaborar os atos constitutivos da empresa e conhecedor da legislação tributária, poderá auxiliar o empreendedor neste processo.

Para abertura e registro da empresa é necessário realizar os seguintes procedimentos:

– Registro na Junta Comercial;

– Registro na Secretaria da Receita Federal (CNPJ);

– Registro na Fazenda Estadual;

– Registro na prefeitura municipal, para obter o alvará de funcionamento;

– Cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema “Conectividade Social – INSS/FGTS”;

– Registro no Corpo de Bombeiros Militar: órgão que verifica se a empresa atende as exigências mínimas de segurança e de proteção contra incêndio, para que seja concedido o “Habite -se” pela prefeitura;

– Contribuição Sindical – A Lei 13.467, de 13 de julho de 2017, denominada Reforma Trabalhista, altera o art. 579 da CLT – Consolidação das Leis do Trabalho – e a contribuição sindical passa a ser facultativa a partir de janeiro de 2018. Isso vale tanto para sindicatos patronais quanto para os trabalhadores (funcionários).

– Realizar uma busca de nome e marca – Verificar se existe alguma empresa registrada com o nome pretendido e a marca que será utilizada. Órgão responsável: Junta Comercial ou Cartório (no caso de Sociedade Simples) e Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).

As empresas que fornecem serviços e produtos no mercado de consumo devem observar as regras de proteção ao consumidor, estabelecidas pelo Código de Defesa do Consumidor – CDC. O CDC foi instituído pela Lei n. 8.078, em 11 de setembro de 1990, com o objetivo de regular a relação de consumo em todo o território brasileiro, na busca do reequilíbrio na relação entre consumidor e fornecedor, seja reforçando a posição do primeiro, seja limitando certas práticas abusivas impostas pelo segundo.

É importante que o empreendedor saiba que o CDC somente se aplica às operações comerciais em que estiver presente a relação de consumo, isto é, nos casos em que uma pessoa (física ou jurídica) adquire produtos ou serviços como destinatário final.

A fim de cumprir as metas definidas pelo CDC, o empreendedor deverá conhecer bem algumas regras que sua empresa deverá atender, tais como: forma adequada de oferta e exposição dos produtos destinados à venda, fornecimento de orçamento prévio dos serviços a serem prestados, cláusulas contratuais consideradas abusivas, responsabilidade dos defeitos ou vícios dos produtos e serviços, os prazos mínimos de garantia, cautelas ao fazer cobranças de dívidas.

Importante:

– Para a instalação do negócio é necessário realizar consulta prévia de endereço na Prefeitura Municipal/Administração Regional, sobre a Lei de Zoneamento.

– A Lei 123/2006 (Estatuto da Micro e Pequena Empresa) e suas alterações estabelecem o tratamento diferenciado e simplificado para microempresas e pequenas empresas. Isso confere vantagens aos empreendedores, inclusive quanto à redução ou isenção das taxas de registros, licenças, etc.

CLIQUE AQUI PARA CONTINUAR LENDO> 

Fonte do texto: Sebrae

Fonte da imagem: Pixabay

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *